Condromalácia patelar


Causas

A causa é multifatorial, causas genéticas, desbalanço muscular (valgo dinâmico) ou traumáticos (fraturas ou instabilidade e até mesmo a luxação patelar). Alterações posturais ou nos exercícios podem ser alguns dos fatores desencadeantes. O desgaste da cartilagem da condromalácia está intimamente ligada a maus alinhamentos entre a patela e seu trilho (tróclea)

Sintomas

Em geral, o sintoma predominante é a dor anterior no joelho, que pode ser sentida ao redor da patela, especialmente ao dobrar o joelho. Em uma fase inicial, está relacionado à atividade física mais extenuante como passadas ou agachamentos com um gesto motor inadequado. A orientação de educador físico é fundamental.No entanto, a evolução da patologia os sintomas podem piorar. Podem afetar atividades do dia a dia, como subir e descer escadas, caminhar, correr, levantar de uma cadeira. O desconforto também pode aumentar após prolongada flexão do joelho, trabalhar em cadeiras sem ergonomia adequada, sentar-se sobre a perna por tempo prolongado, dirigir. Sensação de rigidez e dificuldade em esticar o joelho, estalos e inchaços no joelho, sensação de instabilidade, crepitação (sensação de areia dentro do joelho), fraqueza no quadríceps, também podem ocorrer.

Diagnostico

O diagnóstico da condropatia é um completo exame físico. Permitindo uma compreensão do padrão de dor e das alterações nos membros inferiores. Entender a anatomia do joelho, desvios de eixo de todo o membro inferior, pesquisando alterações anatômicas ou mesmo funcionais, irão levar ao entendimento e a gravidade da condropatia. Além de permitir excluir a presença de outras lesões em outras articulações que possam levar a um quadro de dor no joelho.

Exame de imagem, como as Radiografias e a ressonância magnética, podem permitir uma avaliação complementar importante.

Gravidade

⦁ Grau 1: Apenas mudança no aspecto da ressonância, sem lesão de fato na cartilagem da patela.
⦁ Grau 2: lesão parcial, pegando menos da metade da cartilagem da patela.
⦁ Grau 3: lesão parcial, pegando mais da metade da cartilagem da patela.
⦁ Grau 4: lesão completa, que pega toda a espessura da cartilagem da patela, até o osso subcondra